terça-feira, 31 de agosto de 2010

Lerner (Leia-se Beto Richa) X Osmar na Educação


Enviado por e-mail, por uma professora.
Os dados aqui colocados, são facilmente comprováveis!!

Se nós professores não divulgarmos dificilmente estas informações
serão disseminadas. 
A Educação no Governo Lerner (se ganhar, futuro Governo Beto Richa) 
-8 anos sem reajuste salarial. 
-Fechamento de 340 escolas de Magistério e 1080 cursos de educação profissional. 
-Programa Correção de Fluxo como forma de aligeiramento educacional e contenção de despesas.      
-Contratação de consultorias para execução de todos os projetos educacionais. 
-Universidade do Professor (Faxinal do Céu) numa perspectiva de qualidade total e “ treinamento” dos professores no sentido da competição alcançando sucesso pela força interior. 
-Fim das eleições diretas nas escolas estaduais. 
-Redução drástica do número de Funcionários de Escola através do porte das escolas. 
-Falta de concursos públicos. Redução da Matriz Curricular (menos de 20 aulas no noturno). Não havia hora atividade. 
-Redução de investimento na Educação Básica, sempre abaixo dos 25%. 
-Tentativa de implementação de um Plano de Carreira (PLADEP) que destruía a carreira estatutária e ainda transformava todos os cargos estatutários em celetistas. 
-Contratação de forma terceirizada por meio da Paranáeducação. Abandono da infraestutura e reformas das escolas. 

A Educação no Governo Requião 
-Recomposição da SEED na formulação das políticas públicas. 
-Eleição para Diretores. 
-Concursos públicos para mais de 40 mil professores, pedagogos e funcionários de escola (agente educacional I e II). 
-Alteração da Constituição do Paraná aumentando os recursos da Educação para 30%. 
-Hora-atividade de 20%. 
-Aprovação dos Planos de Carreira dos Professores e Funcionários. 
-Implementação do Cargo de 40 horas (dobra de padrão). 
-PDE – Programa de Desenvolvimento Educacional com dispensa dos professores de 100% da carga horária no primeiro ano e 25% no segundo ano do programa nas Universidades Públicas. 
-Elaboração e implementação das Diretrizes Curriculares Estaduais de forma coletiva. 
-Retorno dos Cursos de Magistério, dos Colégios Agrícolas e da Educação Profissional. Implementação de Programas como Sala de Apoio à Aprendizagem, SAREH (, Programa Viva a Escola, atividades de integração curricular FERA/COM CIÊNCIA. 
-Retorno dos Jogos Colegiais. 
-Programa Paraná Alfabetizado. 
-Implementação das políticas da Diversidade (LGBT, diversidade sexual, de igualdade racial, educação do campo, quilombola, indígena). 
-Merenda escolar com compras diretas da agricultura familiar. 
-Gratificação das (os) secretárias (os) das escolas. 
-Elaboração, pelos professores da rede, do Livro Didático Público para todos os alunos do ensino médio e de todas as disciplinas da matriz curricular. 
-Melhoria dos espaços escolares: TV Multimídia, Paraná Digital, Biblioteca do Professor e TV Paulo Freire. -Expressiva ampliação do acervo bibliográfico à disposição dos estudantes e professores. 
-Programas de Formação Continuada descentralizada, disciplinar e com abordagens teórico-práticas.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Fato, é o que pensa e quer o PIG



Paulo Roberto Franco Andrade
 30 ago, 13:40

Para o PIG (Partido da Imprensa Golpista) - *Veja*, *Folha de São Paulo*, *O
Globo, **O Estado de S. Paulo *e *derivados*),* fato* é o que ele (o PIG)
pensa que é fato, o que ele quer que seja realidade (*fato*).
Como ele sabe que tem aliados nas altas esferas do chamado poder judiciário
(por exemplo, Gilmar Dantas Mendes) e em membros do outro poder, o
legislativo, faz o que quer, imaginando-se impune.
Numa vitória de Dilma Rousseff, a relação entre o governo federal e os meios
de comunicação terá que ser transformada, a serviço da maioria do povo
brasileiro! Se isso não for feito, continuaremos na mesma.
Daí a necessidade de elegermos parlamentares, deputados federais e
senadores, aliados de Dilma, para que o processo de avanço-desenvolvimento
não seja barrado.
*APROFUNDAR A DEMOCRACIA É A PALAVRA DE ORDEM, NO MEU ENTENDER, COMO DE OUTROS COMPANHEIROS.*
*Prestemos atenção nisso:* se eleita, Dilma não deverá, como Lula o fez, no
dia de sua eleição, dar entrevista exclusiva à rede Globo, nem a qualquer
outra rede, com exclusividade. Que chame uma entrevista coletiva com redes
de rádio e televisão! Que fale ao povo brasileiro, como presidente
(presidenta) da República Federativa do Brasil, com um trunfo: a primeira
mulher nesse cargo, o que faz significativa diferença, num país ainda
marcado por machismo explícito!

sábado, 28 de agosto de 2010

No Paraná, tucano Beto Richa entra na Justiça para censurar blog


 O ex-prefeito de Curitiba e candidato ao governo do Paraná, Beto
Richa (PSDB), entrou na Justiça para censurar o ‘Blog do
Esmael’,
de propriedade do jornalista Esmael Morais, que publicou postagens que
estariam ‘abalando-o emocionalmente’ e à sua família. O candidato tucano
conseguiu ontem na Justiça uma liminar que obrigou o blogueiro a retirar
imediatamente todas as charges, fotos e textos considerados ofensivos à
honra e à privacidade da família Richa. Mas, analisando o que foi proibido,
nada tão ofensivo que justifique essa violência contra a liberdade de
expressão. Além de não poder falar de Beto, o ‘Blog do  Esmael’ também não poderá
citar o filho do tucano, Marcello Richa, presidente da
Juventude do PSDB no Paraná, que plagiou no final de 2009 a
monografia de conclusão de curso de Direito na Universidade Positivo (Unicenp). Já a
mulher, Fernanda Richa, recebeu uma condenação no Tribunal Regional
Eleitoral (TRE) porque foi flagrada distribuindo cobertores da Fundação da
Ação Social (FAS), da qual foi presidente até junho, em troca de votos para
o marido. Os três membros da família Richa – Beto, Fernanda e Marcello – em
comum têm o fato de serem personalidades públicas naquele estado do Sul,
portanto, são pessoas que não podem reivindicar a mesma privacidade que tem
dona Genoveva, na Mooca, em São Paulo. O tucano Richa pediu segredo de
Justiça no caso porque queria esconder dos eleitores que não é nada
democrático, que, tal qual o PSDB nacional, adora uma censura. Este blog
mesmo, diversas vezes, foi atacado covardemente pelo tucanato nacional. Em
vão, pois prevaleceu a Justiça diante do Direito das elites. O PSDB sempre
acusou o presidente Lula de tentar censurar a imprensa, mas quem gosta mesmo
de uma censura são os tucanos e os adeptos da ideologia tucana. Embora a
Justiça tenha determinado a retirada de imagens e textos, o juiz Anor
Ribeiro de Macedo não decretou segredo de Justiça no caso. Porém, acatou o
argumento de Beto Richa segundo qual estaria sofrendo fortes “abalos
emocionais e psicológicos” por causa do blogueiro paranaense, que poderiam
respingar no seu desempenho eleitoral. Uma delicadeza. O tucano Beto Richa é
cria político do ex-governador Jaime Lerner (DEM), tido como um dos piores
governadores de toda a história do Paraná. Nestas eleições, o candidato do
PSDB faz de tudo para escapar do rótulo de lernista. Beto Richa fez caixa 2
na reeleição de prefeito de 2008 e votou pela privatização da Copel (estatal
de energia) quando era deputado em 1998; Fernanda Richa usou a máquina da
prefeitura de Curitiba em troca de votos para o marido; o filho usou e
abusou do Crtl + Alt + Del. Afinal, por que eles estariam sofrendo prejuízos
emocionais? Peso na consciência? Veja aqui todos os post's do blogueiro que
foram censurados
Enviada por Ivo Pugnaloni, às 10:46 28/08/2010, de Curitiba, PR

NÃO FUJA DO DEVER

Redação do Momento Espírita
 
Todo ser humano enfrenta períodos difíceis em sua vida.

Há momentos em que a esperança parece desaparecer no horizonte.

Nessas oportunidades, todos os sonhos e planos periclitam.

A harmonia familiar, tão cuidadosamente construída, sucumbe a brigas.

A carreira, tratada com o máximo carinho, passa a ser motivo de tormento.

A saúde, habitualmente vigorosa, torna-se frágil e vacilante.

Amigos de longa data se afastam por conta de desentendimentos fortuitos.

Muitas vezes é possível identificar uma falha no próprio comportamento que desencadeou a catástrofe.

Uma leviandade, uma palavra mal posta, falta de dedicação ou de carinho podem ter levado à desarmonia.

Nesses casos, torna-se evidente o que deve ser corrigido, a fim de evitar novas crises.

Mas às vezes não há causa visível para uma tragédia que se abate.

É o trabalhador dedicado e honesto que se torna desempregado.

O marido fiel e atencioso traído pela esposa.

O filho amado e cercado de atenção que sucumbe às drogas e causa infinitas aflições aos pais.

A amizade antiga que termina por conta de fofocas.

Em outras oportunidades, a vida parece exigir uma quota muito grande de esforços.

A doença de um familiar consome vastos recursos financeiros.

Além disso, o doente exige atenção e cuidados constantes.

A manutenção de um negócio torna-se árdua e pouco rentável.

O patrão revela-se exigente e avaro.

Trabalhar converte-se em uma penitência.

A união da família só se mantém a custo de inauditos esforços.

Entre incompreensões e dificuldades, a tarefa parece hercúlea.

Muitas vezes, há uma saída fácil.

Em outras, isso não ocorre.

Perante um familiar doente, um filho drogado, o único emprego disponível que se torna árduo, o que fazer?

Em tais situações, tem-se um regime severo imposto pela vida.

Se não há causas identificáveis na presente existência, elas se encontram no passado.

O destino das criaturas não é regido pelo acaso.

Em face de situações inelutáveis e graves, não se sinta uma vítima.

Pense que você está tendo oportunidade de redimir-se perante sua própria consciência.

O sacrifício atual representa a liberação de uma antiga dívida.

O familiar que reclama atenção e cuidados pode ter sido outrora levado por você ao vício e à degradação.

Ajudá-lo hoje não representa um favor, mas a reparação de um erro.

Talvez o chefe insensato tenha sido um explorado servo seu no pretérito.

Se ele não teve a força necessária para superar o episódio, cabe a você entendê-lo e desculpá-lo.

Os recursos financeiros que hoje lhe faltam devem ter sido esbanjados outrora.

Seja digno em face das dificuldades que a vida lhe apresenta.

Elas correspondem às suas exatas necessidades de aprendizado e reparação.

Não pense em abandonar o barco, em fugir do dever.

As leis divinas não podem ser burladas.

Elas sempre dão o justo retorno ao mérito e aos equívocos.

Se alguém o trair ou prejudicar, perdoe.

Aja com grandeza e feche o ciclo da dor.

Aprenda a viver e a servir com alegria, mesmo por entre dificuldades.

Para seguir adiante é preciso acertar-se com o passado (*).
 
Equipe de Redação do Momento Espírita
 

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

A ultra-direita midiática, atua concertadamente.


Tenho lido com cuidado às informações que tem publicado estes dias os diários do sistema sobre o pleito que está por definir-se na Argentina com respeito à possesão de uma grande porcentagem de ações do Papel Prensa (uma empresa que controla a venda de papel jornal) e em que tem ações o Clarín, 49%, La Nación, 22.5% e o Estado Argentino, 27.5%; produto de uma obscura transação que se produziu quando o país do sul estava abaixo das botas militares, uma das ditaduras mais atrozes e infames que se tenham dado em país algum da América Latina (Só um dado:30.000 desaparecidos(as) em 7 anos de ditadura).


Do que aqui se difunde, via agências internacionais, uns dizem que a senhora  Lidia Papaleo vda. de Graiver, foi ameaçada peos militares ("firme-se ou custará a vida de sua filha e a sua” uma ameaça que nesses tempos era uma sentença à torturas e morte) para que venda suas ações precisamente aos diários El Clarín e La Nación, os jornais que estiveram muito unidos na “luta contra a subversão” na Argentina. Outros dizem que a transação acionária, neste caso, foi livre e voluntária.
À margem de quem tenha razão, devo referir-me a este sucesso porque, apesar de que na Argentina, até nossos días, estão enfrentando tribunais penais os genocídas argentinos pelos crimes que cometeram contra sua população civil, contudo, estes dois periódicos sipianos (da SIP-CIA) com uma impudicícia e cinismo sem nomes, vem lançando aos quatro ventos que o que está fazendo a Presidenta Cristina Kirchner, é tratando de apropriar-se da empresa (Papel Prensa) para impor uma manipulação aos meios impressos do país, com os dois diários incluidos.
“Coincidentemente” nestes mesmos dias, a imprensa sipiana continental desatou um escândalo “de uma disposição contrária à liberdade de expressão”, na Venezuela, porque um organismo de direito local emitiu uma sanção contra o matutino “El Nacional” (de cerrada oposição ao Governo de Hugo Chávez, desde logo) e tem advertido que os meios de comunicação não devem difundir fotos de violência, como a que publicou o referido diário, em primeira página: uma foto (trucada ou não mas de data muito anterior) de um “anfiteatro” de Caracas, amontonado de cadáveres à espera de sua correspondente autópsia. O objetivo declarado do diário foi que com essa foto “quis advertir” que na capital venezuelana se vivia um clima de terror delinquencial mas que o Governo fazia pouco ou nada por combater-lo. É dizer, “jogar os mortos” a Chávez nesta tendência criminal, agora que estão às vésperas de eleições parlamentares previstas para fins de setembro.
No Equador, desde há pouco, os meios sipianos (com El Comercio de Quito à frente) se tem dedicado a maximizar todo ato criminal que se produza em qualquer ponto do país. Desde logo, há uma velhaa história de crimes, sequestros, assassinatos, escândalos e assaltos que os meios sipianos os trataram, a seu devido tempo, com certa prudência (me refiro às "tintas" da notícia); mas, a partir do governo de Rafael Correa, esses meios não cerceam espaços e para dar informações deste tipo, cada qual mais alarmante. Com segurança, o crime organizado e desorganizado tem crescido no país (especialmente por razões sociais) mas daí a pintar um ambiente cheio de perigos e de incertezas, por culpa do governo, há uma distância; mas a intenção é claríssima
Essa “tendência”, contudo, não é a mais significativa. Sem que se haja dado algum fato concreto ou que algum agente governamental haja intimado a alguém, a pretexto de uma suposta luta contra a possibilidade de uma “lei da mordaça” tanto as radios do sistema como os canais de televisão abertos passam e repassam uma “denúncia" segundo a qual, no Equador da “revolução cidadã” se respira um ambiente de “perigo para a liberdade de expressão” Asseguram que, a aprovar-se o projeto como está para a segunda e definitiva votação na Asssembléia Nacional, se haverá dado um golpe “contra a democracia e a liberdade”.
Está claro que o objetivo que persegue a comunicação sipiana (através de uns quantos parlamentares, que para isso estão) é que a lei não seja lei. Eles querem que neste país andino, a SIP-CIA logre impor um de seus mandatos: “que na comunicação não há melhor lei que a que não se dita” e de passo consolidar o que já vem sendo “o catálogo do jornalismo livre”: que os meios comerciais são impolutos por si mesmos, que eles são os donos da “liberdade de expressão”, que nada deveria ajuizar-los pior censurar-los e outras sutilezas deste estilo.
Faz um par de semanas (quinta12 de agosto/2010) El Comercio de Quito publicou uma resenha informativa sob este título: “A liberdade de imprensa enfrenta um deterioração nos países andinos” A “redação política” do diário se referia a um estudo que tem sido feito sobre a situação da liberdade de “imprensa” (não de expressão) quatro organismos: O Centro sobre Direito e Sociedade (?) o Consórcio Desenvolvimento e Justiça (?), o Instituto de Defesa Legal (?) e, quando não, Freedom House, esse organismo "yanque" que “faz estudos” a respeito de nossas realidades e apresenta informes sobre o que não lhe foi pedido*.
Os relatores –como gostam de chamar-se estes diligentes “estudiosos”- dizem que tem analisado a situação da “a liberdade de expressão e de imprensa” na Venezuela, Colômbia, Equador, Perú e Bolívia e que tem encontrado que, de “países de imprensa livre” (em 2000) temos passado a “parcialmente livres” em consequência de políticas cambiantes. Excetuam à Colômbia da crítica, a pretexto de que em 2000 este país estava afetado “pela violência civil” mas não dizem nem meia palavra sobre que na Colômbia não é que se respeitaram aos jornalistas e meios de oposição sem que os poucos que restaram vivos, lograram colocar-se a bom resguardo, em tempo.
Pelo Equador, tem intervindo o senhor César Ricaurte, fundador, dono, diretor e mensageiro do FUNDAMEDIOS* um organismo não tão fantasma que poucos sabem quem o financia e que trabalha para denunciar exatamente a Correa e seus “atentados” contra a imprensa livre. Este sujeto –que nem sequer é jornalista em exercício- se tem dado ao trabalho de contar as vezes (cerca de 100) que Correa “tem insultado à imprensa e aos jornalistas” e isso o apresenta como “riscos” contra a liberdade de expressão. Em troca, ignora em suas contas as vezes que os meios sipianos e seus jornalistas estrela tem dito “samba canuta” do Chefe de Estado. O único, para estes relatores sipianos e “exercício da liberdade de expressão, que está en perigo”; e o outro “uma agressão contra essa liberdade” Que tal!
O anedótico desta informação, é que os sábios relatores dizem que “Essa situação (de ameaça) também pode gerar que a imprensa se autocensure” como se los meios sipianos nunca houvessem usado a autocensura e a censura direta na informação diária.
Todo mundo sabe que os meios impressos e os meios audiovisuais do sistema, sempre tem “amigos da casa” (os preferidos para entrevistas, para consultas, etc) e “inimigos da empresa” para tipificar a todos aqueles que, por qualquer razão, geralmente ideológica, tem passado a formar parte do index que cada meio tenha elaborado a seu querer. Assim que a censura e a auto-censura tenham existido, existem e existirão sempre enquanto exista o sistema que o proteja.
Nestes tempos, o panorama descrito através de uns poucos casos, o que nos revela é que os meios comerciais coincidem sem rubor em posições antagônicas frente a processos políticos, econômicos e sociais de cambios, que se veem dando em nossos países. Desde muito tempo atrás, se observa uma manipulação informativa generalizada contra todo processo de mudanças ou de transformações, por menores que sejam. O sistema imperante, (através de seus meios comunicacionais) não querem correr riscos frente à possibilidade de que as massas famintas e marginalizadas de nossas sociedades, em processos violentos ou não, comecem a minar os interesses do grande império e das "burguesias criollas". Não se pode esquecer que a grande imprensa sipiana depende em altíssimo grau, das “generosas fontes de financiamento” que tem o título de “marketing” ou de publicidade paga. E está claro que os setores sociais em processo de transformações e demandas, não tem nem para seu sustento diário; pior, para pagar espaços de publicidade em tais meios. E se da a incongruência, em nossos países, que a publicidade estatal, segue alimentando com milhões de dólares a seus verdugos.
Alberto Maldonado é jornalista equatoriano.

A Petrobras e o Brasil





Paulo Roberto Franco Andrade 
26 ago, 12:10

Talvez, isso explique, em parte, porque as eleições andam com a atual

tendência.

Todavia, a especulação na bolsa de valores (SP-Brasil), para baixar o preço

da ação-Petrobrás

continua firme, pelo PIG e pelos notórios especuladores.

Há boatos "no sacrossanto mercado" de que DD, o orelhudo especulador baiano,

já adquiriu

R$ 650 milhões em ações da empresa.

É uma espécie de norma adotada por eles, os "anti-Brasil": o PIG ataca o

governo, ataca a Petrobrás, inventa coisas, o "sacrossanto mercado"

responde, os especuladores agem.




 A Petrobrás e o Brasil.ppt
3200K Exibir Download

Projeto permite julgamento de torturadores do regime militar





26/08/2010 09:09
Diógenis Santos
Luciana Genro: objetivo é reverter decisão do STF.


A Câmara analisa o Projeto de Lei 7430/10, da deputada Luciana Genro
(Psol-RS), que altera a Lei da Anistia (6.683/79) para permitir o julgamento
dos crimes cometidos por agentes públicos civis ou militares contra pessoas
acusadas de atos contra a segurança nacional e a ordem política e social.


Conforme o projeto, a atuação de agentes públicos contra opositores da
ditadura não pode ser considerada crime conexo aos crimes políticos
cometidos na época e, portanto, não será objeto de anistia.


A proposta, de acordo com a deputada, busca reverter decisão do Supremo
Tribunal Federal (STF) contrária à revisão da Lei da Anistia. O STF decidiu
que os crimes cometidos por agentes públicos à época podem ser considerados
crimes conexos às infrações políticas. Dessa forma, o Tribunal julgou ser
impossível processar os agentes de Estado nos crimes contra opositores do
regime militar.


*Afronta à Constituição*
Luciana Genro informou que a proposta apresentada por ela foi elaborada pelo
jurista Fábio Konder Comparato, um dos defensores da ação da Ordem dos
Advogados do Brasil (OAB) que propôs a revisão da lei. De acordo com o
jurista, a interpretação do STF afrontou a Constituição, segundo a qual
crimes de tortura não podem ser objeto de graça ou anistia.


"Tenho certeza de que, com a aprovação desta proposta, o Congresso Nacional
terá oportunidade de afirmar sua vontade soberana de justiça e paz", opinou
Luciana Genro.


*Tramitação*
A proposta será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de
Cidadania e pelo Plenário.

Dos e-mail's falsos sobre #Dilma


Circula na internet uma série de e-mails com informações completamente falsas e caluniosas a respeito da militância de Dilma contra a ditadura militar, no final dos anos 1960. Não caia nos contos do vigário da internet, ainda mais em época de eleição.

Mentira: Dilma está proibida de entrar nos Estados Unidos (e em mais 10 ou 11 países) por conta do sequestro do embaixador norte-americano Charles Elbrick, em setembro de 1969.

Verdade: Dilma jamais teve qualquer ligação com sequestros, assaltos a bancos ou ações armadas. Portanto, não existe razão para ter visto negado nos Estados Unidos ou em quaisquer outros países.

Se alguém aparecer com essa história falsa, você pode checar a verdade:

Os grupos que sequestaram o embaixador estavam no Rio de Janeiro. Consulte aqui para saber quem realmente participou do episódio.

Dilma vai com freqüência aos Estados Unidos. Durante a pré-campanha, em maio de 2010, ela falou a uma plateia de investidores, numa concorrida palestra em Nova York. A imprensa brasileira noticiou fartamente. Saiba mais aqui.


Com Obama

Em meados de 2009, Dilma encontrou o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em Washington. Você pode ver essa notíciaaqui.

A melhor prova é a bela foto de Dilma com Obama, que foi tirada na Casa Branca em 14 de março de 2009. A fonte é esta aqui.


Na Europa

Dilma fez neste ano uma série de viagens à Europa. Um dos encontros foi com o primeiro-ministro espanhol José Luiz Zapatero, e outro com o presidente francês Nicolas Sarkozy. Leia aqui e aqui.

Equipe Dilma13

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Colômbia: País emblemático

Alberto Pinzón Sánchez (especial para ARGENPRESS.info)    
Era impensável que um experimento estratégico tão doloroso, catastrófico e transformador, como o adiantado na sociedade colombiana principalmente durante a última década pela economia política do Imperialismo, não houvesse tido uma teorização ou conceitualização efetiva a partir do Marxismo. Desesperadamente os intelectuais orgânicos trabalhadores, enfrentaram a descomunal ofensiva imperial com algumas ferramentas de que dispunham, mais que tudo políticas e até ideológicas, mas insuficientes para desentranhar em breves colunas de opinião a enorme intoxicação com todo tipo de teorías, induzidas pelo aparato de propaganda do regime posto a este serviço.


Se percebiam os efeitos desastrosos na vida material e espiritual do Povo Trabalhador colombiano em especial durante a última década, e se denunciavam ponto a ponto as atrocidades que o avanço territorial da economia política trasnacional impunha a sangue e fogo em sua “acumulação permanente de capital” mediante o Estado (policialesco) de Opinião de Uribe Vélez. Se seguia o rastro de sangue e dor pela nova geografia colombiana do sofrimento, a desolação do despojo e os deslocamentos, mas não se avançava o suficiente em diminuir conceitualmente, em abstrair, a entranha contraditória (interna e externa unidas) daquela Totalitária. Em uma palavra, em fazer uma análise concludente e em movimento da economia política do atual Imperialismo na Colômbia.

Se intuía e assim se denunciava; a conformação de um novo bloqueio de classes dominantes com o ingresso mediante "bombaços" e intimidação, de uma poderosa burguesia lúmpen surgida dos multimilionários negócios do narcotráfico, os químicos e as armas, dispostas a tudo para alcançar o Poder que lhe correspondia na economia real da Colômbia. Se percebiam suas relações contraditórias (pela possessão da terra e os megaprojetos) com o latifundismo tradicional, e as camorras (exemplo Davis Murcia) pela lavagem de dinheiro com a burguesia financeira ligada ao capital Transnacional. Tampouco era difícil notar o declive da facção industrial pela desindustrialização imposta; mas não se sabía e não tinhamos porque saber os detalhes de todo este complexo processo geo-estratégico, de fusão econômica e coligação política e ideológica (dentro do Estado, do para-Estado e a tutela do Plano Imperial) que se estava dando, porque algumas minúcias apenas hoje à luz pública às está vislumbrando. Por exemplo o tratado de ocupação das 7 bases militares norteamericanas, recentemente declarado contrario à Constituição colombiana.

Toda esta complexidade que explica o porvir certo da Colômbia, ou melhor  o triste e realista futuro que atualmente nos chega disfarçado de “Unidade Nacional”; finalmente tem sido escrita e racionalizada graças à paciente tarefa intelectual do economista e professor da Universidade Nacional Jairo Estrada Álvarez, em um ensaio de economia política intitulado Direitos do capital. Dispositivos de proteção e estímulos à acumulação na Colômbia, Instituto Unijus, Universidade Nacional da Colômbia, Bogotá, 2010. Em especial no capítulo sobre as “trasformações do capitalismo na Colômbia”, cuja leitura minuciosa não duvido em recomendar, e que conclui com estes contundentes parágrafos:

... “Finalmente, deve afirmar-se que as dinâmicas aquí expostas me levam a asseverar que resulta insuficiente a caracterização da tendência da acumulação capitalista em termos de um processo de reprimarização da economia, ainda que à primeira vista parecera ser assim, dado precisamente ao caráter histórico da acumulação, não há retorno à formas da organização capitalista da produção e do trabalho existentes em outra época. Ao que hoje se assiste é ao surgimento e consolidação de uma nova divisão capitalista do trabalho, baseada em uma também nova organização transnacional do processo capitalista de produção-reprodução. Tal organização o imprime sua própria especificidade à dinâmica da acumulação de capital.

... Pese a que é incontrovertível o fato que a tendência da acumulação capitalista se tenha acompanhado do surgimento, como já se disse, de uma ordem dos direitos do capital, que tenham favorecido sem dúvida aos investidores estrangeiros, o fato de uma mobilização do capital transnacional para consolidar a estratégia da acumulação capitalista não pode passar desapercebido. O que proponnho neste sentido é uma leitura política dos fluxos de capital que tem chegado ao país durante as últimas décadas, mas particularmente durante o último decênio. Desde meu ponto de vista, ademais das razões de rentabilidade, deve considerar-se o propósito político de produzir um país emblemático, que se possa mostrar e se converta em referencial a seguir no contexto internacional.

... Em desenvolvimento  deste propósito três são os agentes externos que se tem constituído em verdadeiros pivôs do projeto político econômico do neoliberalismo na Colômbia: a) os crescentes fluxos de investimento estrangeiro e o apoio irrestrito das empresas transnacionais estabelecidas no país; b)o acompanhamento político contínuo dos organismos multilaterais (FMI, Banco Mundial, BID)e o abastecimento permanente com recursos de crédito por parte destes organismos; e c) a chamada ajuda militar estadounidense, através da qual não só tem fluído recursos importantes para o financiamento da guerra, sem que se tenha co-desenhado a estratégia de guerra e se lhe tenha dado um respaldo à sua execução.

... As razões geopolíticas, econômicas e militares são claras. O lugar da Colômbia na atual geografia do capital é estratégico. Por ele, é necessário produzir um país estável, que demonstre a suficiente capacidade para regular seus conflitos e sua macro-economia e, sobretudo, que sirva de contenção frente aos câmbios no balanço político e de poder da região. Em suma, no marco de uma estratégia imperial, se trata de uma reserva estratégica”.

Colóquio OUTRAS ESTÉTICAS POSSÍVEIS

Debate sobre democratização da comunicação no Rio de Janeiro

Prezado(a)s candidatos a deputado estadual e federal, senador,
governador, presidente e público em geral.

O Movimento Rio Pro Conferência de Comunicação convida para o debate
sobre democratização da comunicação a ser realizado no dia 13 de
setembro, segunda-feira, às 19h, no auditório do CREA-RJ, localizado
na rua Buenos Aires, nº40/5ºandar, Centro, Rio de Janeiro – RJ. O
evento tem por objetivo apresentar a Plataforma por uma Comunicação
Democrática do RJ, que tem como bases as resoluções da I Conferência
Nacional de Comunicação (Confecom), bem como das Conferências
preparatórias realizadas no Estado do Rio de Janeiro e nas regiões do
interior, realizadas em 2009. Cada partido indicará para representá-lo
preferencialmente candidatos (as) que tenham identidade com o tema,
confirmando nome e contato até o dia 03 de setembro pelos contatos
citados abaixo. Está prevista a veiculação do debate ao vivo pela
internet.
A etapa nacional da Confecom foi realizada em dezembro, em Brasília.
Os movimentos envolvidos na causa esperam que o caderno de resoluções
da 1ª Conferência Nacional de Comunicação com 600 propostas se torne
um documento central para as organizações e movimentos sociais que
lutam pela efetivação do direito à comunicação no país. Nele, existem
propostas que há muito tempo são defendidas por estas organizações que
tratam da produção de conteúdo, meios de distribuição e direitos e
deveres e finalidades educativas e culturais da programação, para o
setor.
Os exemplos mais lembrados são: a constituição de um Conselho
Nacional de Comunicação com poderes deliberativos; a transformação da
banda larga em um serviço em regime público; proibição da publicidade
direcionada às crianças; regulamentação da publicidade de bebidas
alcoólicas; a não-marginalização das rádios comunitárias; a defesa
pelos direitos humanos; o fim dos pacotes fechados na TV por
assinatura, a regionalização e presença da produção independente no
rádio e na TV e o restabelecimento da exigência do diploma para os
jornalistas. Também há propostas que caracterizam os três sistemas –
público, privado e estatal – previstos como complementares em nossa
Constituição.
A grande maioria das propostas aprovadas demandam iniciativas
legislativas nas esferas estadual e nacional para serem implementadas,
daí a importância de um posicionamento claro dos partidos e seus
candidatos a cargos parlamentares. O público- alvo do debate será
integrado prioritariamente por representantes da sociedade civil do
Estado do Rio de Janeiro, estudantes e profissionais de Comunicação,
mas o debate será aberto e divulgado para o conjunto da sociedade.

Cordialmente,

Movimento Rio Pro Conferência de Comunicação

Contatos e mais informações pelo endereço riodemocraciacomunicacao@...
ou pelos telefones (21) 9616-1447,Claudia ou (21) 8181-2505, Oona

Alguns dados importantes sobre a Pesquisa Datafolha

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Brasil: Indústria bate recorde de consumo de energia


do ARGENPRESS
O consumo de energia no Brasil durante o mês de julho alcançou um total de 34.382 Gigawatts/hora (GWh), com um aumento de 8,4 por cento em relação ao mesmo mês do ano anterior, informou hoje a Empresa de Pesquisas Energéticas (EPE).


A taxa de crescimento de consumo acumulada nos  últimos 12 meses foi de 6,0 por cento, enquanto no período janeiro-julho chegou à 9,7 por cento, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

A atividade industrial foi a que registrou um aumento maior de consumo energético, com um crescimento de 13,7 por cento sobre julho de 2009, enquanto o setor residencial teve aumento de 4,2 por cento e o comercial, de 4,5 por cento.

No caso do setor industriall, o consumo de 15.915 GWh registrado em julho foi superior aos 15.823 GWh verificados em agosto de 2008, que constituía o recorde anterior de consumo mensal.

A nota da EPE assinala que a recuperação do consumo industrial já não se limita a retornar aos niveis anteriores à crise, mas apresenta ainda, uma aceleração em relação aos melhores períodos da atividade industrial, anteriores à crise mundial.

Com respeito ao consumo residencial, a empresa registra una aceleração no ritmo de crescimento que mostra que esse setor não foi afetado pela crise e teve em todo 2009 um índice de crescimento médio de 6,4 por cento, a taxa mais alta desde 1998.

O número de consumidores de energia chegou em julho à 57,1 milhões, o que representou un crescimento de 3,5 por cento em comparação con julho de 2009.

O maior consumo residencial foi verificado nas regiões Norte e Nordeste do país, que tiveram um crescimento de 13,9 por cento em relação ao consumo de julho do ano passado, graças aos programas de expansão do número de consumidores rurais.

Audioteca Sal e Luz - #DIVULGUEM

O que estão pedindo não é dinheiro e sim divulgação.

Caros amigos,
Venho por meio deste post divulgar o trabalho maravilhoso que é realizado na Audioteca Sal e Luz e corre o risco de acabar.
A Audioteca Sal e Luz é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, que produz e empresta livros falados (audiolivros) .
Mas o que seria isto? São livros que alcançam cegos e deficientes visuais, (inclusive os com dificuldade de visão pela idade avançada) de forma totalmente gratuita.
Seu acervo conta com mais de 2.700 títulos que vão desde literatura em geral, passando por textos religiosos até textos e provas corrigidas voltadas para concursos públicos em geral. São emprestados sob a forma de fita K7, CD ou MP3.
E agora, você está se perguntando: o que eu tenho a ver com isso? É simples.
Nos ajude divulgando.
Se você conhece algum cego ou deficiente visual, fale do nosso trabalho. DIVULGUE!
Para ter acesso ao nosso acervo, basta se associar na nossa sede, que fica situada à Rua Primeiro de Março, 125- Centro. RJ. Não precisa ser morador do Rio de Janeiro.
A outra opção , foi uma alternativa que se criou face a dificuldade de locomoção dos deficientes na nossa cidade.
Eles podem solicitar o livro pelo telefone, escolhendo o título pelo site, e enviaremos gratuitamente pelos Correios.
A nossa maior preocupação reside no fato que, apesar do governo estar ajudando imensamente, é preciso apresentar resultados. Precisamos atingir um número significativo de associados, que realmente contemplem o trabalho, se não ele irá se extinguir e os deficientes não poderão desfrutar da magia da leitura.
Só quem tem o prazer na leitura, sabe dizer que é impossível imaginar o mundo sem os livros...
Ajudem-nos, Divulguem!
Atenciosamente,
Christiane BlumeAudioteca Sal e Luz - Rua Primeiro de Março, 125 - 7o Andar. Centro - RJ. CEP 20010-000
Fone: (21) 2233-8007
begin_of_the_skype_highlighting (21) 2233-8007 end_of_the_skype_highlighting
Horário de atendimento: 08:00 às 16:00 horas
http://audioteca.org.br/noticias.htm
Informação de quem já se informou:
Amigos, minha mãe ligou para a audioteca, falou com a Christiane, e ela disse que eles não precisam de dinheiro, mas de DIVULGAÇÃO !! Então conto com a ajuda de vocês: repassem! Eles enviam para as pessoas de graça, sem nenhum custo.É um belo trabalho! Quem puder fazer com que a Audioteca chegue a mídia, por favor, fiquem a vontade, é tudo do que eles precisam.

Texto sobre o Twitter, de Jabor , que está aportando cá no "espaço"...

Após o texto doentio, abaixo, e como lhe é próprio, Jabor agora decide aportar cá no twitter.
Nada contra a "mudança" de avaliação que agora o traz ao espaço, mas lembra mais outro tipo de intenção, ao perceber que a lavada em seu candidato à Presidência esteja ocorrendo neste local de boa visibilidade e repercussão, também.
Vai aí, pois, o texto agressivo abaixo, escrito em 05/11/2009, para que o leitor retire dele, suas próprias conclusões:




Leia o artigo de Arnaldo Jabor na íntegra:

- Não estou no “twitter”, não sei o que é o “twitter”, jamais entrarei neste terreno baldio e, incrivelmente, tenho 26 mil “seguidores” no “twitter”. Quem me pôs lá? Quem foi o canalha que usou meu nome? Jamais saberei. Vivemos no poço escuro da web. Ou buscamos a exposição total para ser “celebridade” ou usamos esse anonimato irresponsável com nome dos outros. Tem gente que fala para mim: “Faz um blog, faz um blog!” Logo eu, que já sou um blog vivo, tagarelando na TV, rádio e jornais... Jamais farei um blog, este nome que parece um coaxar de sapo-boi. Quero o passado. Quero o lápis na orelha do quitandeiro, quero o gato do armazém dormindo no saco de batatas, quero o telefone preto, de disco, que não dá linha, em vez dos gemidinhos dos celulares incessantes.

Comunicar o quê? Ninguém tem nada a dizer. Olho as opiniões, as discussões “online” e só vejo besteira, frases de 140 caracteres para nada dizer. Vivemos a grande invasão dos lugares-comuns, dos uivos de medíocres ecoando asnices para ocultar sua solidão deprimente.

O que espanta é a velocidade da luz para a lentidão dos pensamentos, uma movimentação “em rede” para raciocínios lineares. A boa e velha burrice continua intocada, agora disfarçada pelo charme da rapidez. Antigamente, os burros eram humildes; se esgueiravam pelos cantos, ouvindo, amargurados, os inteligentes deitando falação. Agora não; é a revolução dos idiotas online.

Quero sossego, mas querem me expandir, esticar meus braços em tentáculos digitais, meus olhos no “google”, (“goggles” – olhos arregalados) em órbitas giratórias, querem que eu seja ubíquo, quando desejo caminhar na condição de pobre bicho bípede; não quero tudo saber, ao contrário, quero esquecer; sinto que estão criando desejos que não tenho, fomes que perdi. Estamos virando aparelhos; os homens andam como robôs, falam como microfones, ouvem como celulares, não sabemos se estamos com tesão ou se criam o tesão em nós. O Brasil está tonto, perdido entre tecnologias novas cercadas de miséria e estupidez por todos os lados. A tecnociência nos enfiou uma lógica produtiva de fábricas vivas, chips, pílulas para tudo, enquanto a barbárie mais vagabunda corre solta no País, balas perdidas, jaquetas e tênis roubados, com a falsa esquerda sendo pautada pela mais sinistra direita que já tivemos, com o Jucá e o Calheiros botando o Chávez no Mercosul para “talibanizar” de vez a América Latina. Temos de ‘funcionar’ – não viver. Somos carros, somos celulares, somos circuitos sem pausa. Assistimos a chacinas diárias do tráfico entre chips e “websites”.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Vejam alguns candidatos desta eleição...

Vamos ver alguns candidatos para a próxima eleição:


No Esporte:

Acelino Popó Freitas (PRB-BA)- O boxeador concorre a deputado estadual
Maguila (PTN-SP)- Ex-boxeador,quer ser deputado federal
Marcelinho Carioca (PSB-SP)- Ex-jogador, concorre a deputado federal
Romário (PSB-RJ)- Ex-jogador, busca uma vaga na Câmara Federal
Vampeta (PTB-SP) - Ex-jogador, concorre a deputado federal
Fabiano (PMDB-RS) - Ex-atacante do Inter, é candidato a deputado estadual
Danrlei (PTB-RS) - Ex-goleiro do Grêmio, concorre a deputado federal

Na Música:
Gaúcho da Fronteira (PTB-RS) - Músico concorre a deputado estadual
Kiko (DEM-SP) - Membro do grupo KLB, concorre a deputado federal
Leandro (DEM-SP) - Integrante do KLB, concorre a deputado estadual

Faltou o Bruno... aí poderiam até lançar um novo partido chamado KLB. O que mais tem nesse país é gente safada e partido político!!!

Netinho (PCdoB-SP) - Cantor do grupo Negritude, concorre a senador   (Aquele que bateu na mulher, lembram?)
Reginaldo Rossi (PDT-PE) - Cantor, concorre a deputado estadual
Renner (PP-GO) - Integrante da dupla Rick&Renner, concorre ao Senado
Sérgio Reis (PR-MG) - Cantor e ator, concorre a deputado federal
Tati Quebra-Barraco (PTC-RJ) - Funkeira, concorre a deputada federal

Na Televisão: 

Ronaldo Esper (PTC-SP) - O estilista quer ser deputado federal
Pedro Manso (PRB-RJ) - Humorista, disputa na vaga na Assembleia Legislativa
Dedé Santana (PSC-PR) - Humorista, quer ser deputado estadual
Tiririca (PR-SP) - Humorista, disputa uma vaga na Câmara Federal
Batoré (PP-SP) - Humorista, quer uma vaga na Câmara Federal

No Pomar:

Mulher Melão (PHS-RJ) - Cristina Célia Antunes Batista concorre a deputada federal
Mulher Pera (PTN-SP) - Suellen Aline Mendes Silva quer ser deputada federal





NA CONSTRUÇÃO DO AMANHÃ

Redação do Momento Espírita
 
Nos Estados Unidos, o dia dos namorados é comemorado a 14 de fevereiro. Nesse dia, as pessoas costumam enviar cartões não somente para os namorados. Também a amigos e pessoas queridas.

Foi com preocupação que a mãe de um garoto tímido e calado ouviu-o dizer que desejava dar um cartão para cada colega seu.

Chad era um excluído na classe. A mãe o via, todos os dias, retornando da escola.

A turma vinha na frente, brincando, conversando. Ele sempre atrás, sozinho.

Ela ficou angustiada. Mesmo assim, nos dias que se seguiram ela ajudou o filho a confeccionar os cartões.

Comprou papel, cola e lápis de cor. E ele trabalhou com afinco.

Finalmente, no dia dos namorados, estavam prontos os 35 cartões.

Ele não cabia em si de contentamento.

A mãe passou o dia preocupada. Tinha certeza que ele voltaria desapontado.  Não receberia nenhum cartão.

Por isso, resolveu fazer alguma coisa para amenizar a situação. Assou biscoitos especiais que ele gostava.

Depois, ficou esperando.

Olhou pela janela e viu os garotos. Como sempre, eles vinham rindo e se divertindo.

Como sempre, Chad vinha atrás do grupo. Caminhava, no entanto, um pouco mais rápido do que o normal.

Quando entrou em casa, ela esperou que ele se desmanchasse em lágrimas.

Chegou de mãos vazias, como ela pensara. Segurando o pranto, a mãe lhe disse:
 
“Filho, preparei um lanchinho para você.”
 
Mas Chad não prestou atenção ao que ela disse. Com passos firmes, se encaminhou para a cozinha, repetindo:
 
“Nenhum...nenhum..”
 
Nesse momento, a mãe observou que o rosto do filho brilhava de alegria. E o ouviu completar a frase:

“Não esqueci nenhum, nenhum deles!”
 
A atitude do garoto é altruísta e denota uma alma que muito mais se preocupa em ofertar amor, do que buscar ser amado.

Poucas criaturas podem superar, contudo, situações semelhantes.

“bulling”, essa prática de agressividade repetida, muito comum entre crianças e adolescentes, tem dado causa a alguns desastres.

O fenômeno é mundial. Crianças e adolescentes são excluídos pelos colegas, perseguidos e humilhados.

Muitos abandonam a escola, sem condições de prosseguirem enfrentando humilhações e trotes.

As estatísticas apontam ainda crescente número de suicídios na faixa etária da infância/adolescência, como efeito do “bulling”.

Qual será o motivo de tamanha crueldade?

Educadores e pais: estejamos atentos. Observemos o comportamento dos nossos filhos.

Serão eles os promotores do “bulling” ou suas vítimas?

É tempo de ensinar a amar em nosso lar. A respeitar os diferentes. A imitar os melhores, não tentar destruí-los.

Pensemos: quais são os comentários que nossos filhos mais ouvem, com respeito aos outros seres, em nosso lar?

Que falamos a respeito dos colegas de trabalho, dos vizinhos, dos filhos dos outros?

É possível que descubramos que essa manifestação doentia, o “bulling’, seja a resultante da indiferença e do desamor que ensinamos a eles, todos os dias.

Pensemos nisso! O mundo melhor do amanhã está em nossas mãos.

Depende de nós a geração que se estrutura hoje para atuar no mundo logo mais, como cidadãos do mundo, herdeiros das nossas riquezas morais.
 
Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no cap.  Dia dos namorados, de Dale Galloway, do livro Histórias para o coração, vol.  1, de Alice Gray, ed.  United Press.
 

domingo, 22 de agosto de 2010

O artigo 45, da "mordaça" aos babac...digo, humoristas...

   
O artigo 45, foi promulgado em 30/09/1997, sendo assinado pelo vice-presidente à época (quem era?), sob o governo neoliberal de FHC.
Agora levantam-se estes escrotos, querendo polemizar e imputar aos menos esclarecidos, que a "culpa", seria do governo Lula, pois só agora, passados 13 anos, tentam chamar a atenção para o fato.
Há 13 anos, talvez, muitos deles estivessem no cueiro ainda, é verdade (muitos não...) mas antes desta peça de mau-humor, deveriam ao menos, informarem-se, para não pagarem este "mico tardio" e com motivos extremamente mau-explicados, justamente pelo tardio da ação.
Onde andavam os "putas velhas" Marcelo Tas, Marcelo Madureira e seus Cassetas Amestrados, etc, há 13 anos atrás.
E ainda teem a pachorra de editar vídeo, começando com a frase: "Agora é lei...".
AGORA???? É PRÁ RIR????

Art. 45. A partir de 1º de julho do ano da eleição, é vedado às emissoras de rádio e televisão, em sua programação normal e noticiário:
        I - transmitir, ainda que sob a forma de entrevista jornalística, imagens de realização de pesquisa ou qualquer outro tipo de consulta popular de natureza eleitoral em que seja possível identificar o entrevistado ou em que haja manipulação de dados;
        II - usar trucagem, montagem ou outro recurso de áudio ou vídeo que, de qualquer forma, degradem ou ridicularizem candidato, partido ou coligação, ou produzir ou veicular programa com esse efeito;
        III - veicular propaganda política ou difundir opinião favorável ou contrária a candidato, partido, coligação, a seus órgãos ou representantes;
        IV - dar tratamento privilegiado a candidato, partido ou coligação;
        V - veicular ou divulgar filmes, novelas, minisséries ou qualquer outro programa com alusão ou crítica a candidato ou partido político, mesmo que dissimuladamente, exceto programas jornalísticos ou debates políticos;
        VI - divulgar nome de programa que se refira a candidato escolhido em convenção, ainda quando preexistente, inclusive se coincidente com o nome do candidato ou com a variação nominal por ele adotada. Sendo o nome do programa o mesmo que o do candidato, fica proibida a sua divulgação, sob pena de cancelamento do respectivo registro.
        § 1º A partir de 1º de agosto do ano da eleição, é vedado ainda às emissoras transmitir programa apresentado ou comentado por candidato escolhido em convenção.
        § 1o  A partir do resultado da convenção, é vedado, ainda, às emissoras transmitir programa apresentado ou comentado por candidato escolhido em convenção. (Redação dada pela Lei nº 11.300, de 2006)
        § 2º Sem prejuízo do disposto no parágrafo único do art. 55, a inobservância do disposto neste artigo sujeita a emissora ao pagamento de multa no valor de vinte mil a cem mil UFIR, duplicada em caso de reincidência.
        § 3º As disposições deste artigo aplicam-se aos sítios mantidos pelas empresas de comunicação social na Internet e demais redes destinadas à prestação de serviços de telecomunicações de valor adicionado(Revogado pela Lei nº 12.034, de 2009)

        § 4o  Entende-se por trucagem todo e qualquer efeito realizado em áudio ou vídeo que degradar ou ridicularizar candidato, partido político ou coligação, ou que desvirtuar a realidade e beneficiar ou prejudicar qualquer candidato, partido político ou coligação. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)
        § 5o  Entende-se por montagem toda e qualquer junção de registros de áudio ou vídeo que degradar ou ridicularizar candidato, partido político ou coligação, ou que desvirtuar a realidade e beneficiar ou prejudicar qualquer candidato, partido político ou coligação. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)
        § 6o  É permitido ao partido político utilizar na propaganda eleitoral de seus candidatos em âmbito regional, inclusive no horário eleitoral gratuito, a imagem e a voz de candidato ou militante de partido político que integre a sua coligação em âmbito nacional. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

O 'AMIGÃO' VISTO PELO RETROVISOR


Em outubro de 2002, em momento igualmente desfavorável como candidato de FHC contra Lula, Serra que hoje se apresenta como o novo amigão do peito do Presidente da República, dizia coisas distintas sobre o adversário. A tese da ‘inexperiência’ e do ‘despreparo’ para chefiar o país ,agora endereçada contra Dilma Rousseff, era recorrente na boca do tucano e da mídia que o apoiava. Em vez da ‘mulher inexperiente, que nunca foi eleita para nada’, o alvo era o metalúrgico ‘ que nunca administrou nada’, como alardeava a matraca conservadora do candidato e de sua entourgae. Liderar sindicatos e conduzir greves históricas, como se sabe, pertence ao universo do nada na visão do conservadorismo nativo, que já nasce póstumo graças a uma vocação inata para mandar e ser obedecido. Inclui-se entre os clássicos dessa visão da casa-grande, o episódio-síntese da cordialidade do serrismo em relação a Lula. Em plena campanha, o herdeiro de conhecido jornal de São Paulo, em almoço na sede da empresa, apontaria seu dedo magro e deselegante para Lula a ponto de causar constrangimento no próprio pai, então diretor do veículo e hoje falecido. Apoplético, o filho que atende pelo diminutivo, desautorizou o candidato-operário a postular a presidência entre outras coisas por não ter diploma universitário e não falar inglês. Ontem, como hoje, mídia e candidato tucano operavam na cadência de um jogral. Se o petista vencesse as eleições --como de fato venceu e gerou 14 milhões de empregos até agora-- o Brasil, de acordo com a pregação do tucano, seria palco de uma inevitável tragédia econômico financeira, associada a devastadora desestabilização política. Segundo o ‘amigão’, Lula na presidência cindiria o Brasil, a exemplo do que já ocorria, segundo ele, na Venezuela. Índio da Costa, então, era só um aspirante a picollo balilla, mas o udenismo lacerdista já maturava no arsenal político de Serra, a inocular na classe média o veneno de um apartheid social cevado a poções diárias de medo, mentiras e arrogância. Com Lula, alardeava o serrismo, haveria uma argentinização da economia, seguida de desemprego e inflação explosiva. Ao jornal Gazeta Mercantil , o tucano ardiloso gotejava em 9 de outubro de 2002 o mesmo bordão que sua campanha agora martela Dilma: "Precisamos mostrar quem está mais preparado e mais cercado de forças políticas capazes de garantir a governabilidade". Diante da escalada terrorista, dias depois, o saudoso economista Celso Furtado faria um desabafo incomum para um homem público conhecido pelo estilo reservado e austero. Aspas para as atualíssimas observações do grande economista brasileiro ao site de campanha do PT, em entrevista publicada em 13-10-2002. 'O Serra está aperreado. Como ele vê que todos os apoios vão para o Lula, ele se destempera, diz coisas descabidas, tenta juntar fatos sem nexo. Mistura tudo, Brasil, Venezuela, descontrole cambial e eleições. Um pouco mais de seriedade. O Brasil precisa de seriedade. Existe uma expressão francesa para definir esse comportamento [de Serra]: aux bois, quer dizer, ladrando a torto e a direito. Enfim, o sujeito está no sufoco, fala qualquer coisa. É o fim de festa'.
(Carta Maior; 22 -08)